Estamos no início do século XXI e no começo da década de 80 dizia-se muito sobre o perigo da guerra nuclear e sobre a polarização dos Estados Unidos da América e a Rússia. Esses eram os maiores medos passados através da grande mídia, tanto impressa quanto pelas ondas do rádio e por aparelhos de tv.
O tempo passou, e diziam os especialistas, que o comunismo tinha se ido junto com a queda do muro de Berlin em 1989, assim como também diminuindo a tensão entre os dois blocos de poder bélico, e aumentando os acordos de cooperação comercial. Assim cremos que o terror do comunismo jamais apareceria novamente, pois se onde tudo começou veio a mostrar ser um caminho inviável, onde ele poderia insistir em permanecer?
Por incrível que pareça, veio do Brasil em 1990 a grande iniciativa para dar continuidade no comunismo, através da criação do Foro de São Paulo e preparação da unificação da América Latina em favor do socialismo, que na verdade é apenas um nome charmoso para o velho e sujo comunismo. A pergunta agora é: como o socialismo faz adeptos? É através dos jovens que o socialismo consegue sua permanente conquista de territórios, pois empresários e os em idade produtiva estão trabalhando para pagar impostos e cuidando de dar atenção à suas famílias, deixando o lado da política livre para todos os desocupados cooptados, idiotas-úteis, militantes sindicalistas, aproveitadores e psicopatas, etc. Além de fazer política partidária, eles ainda entram em todos os tipos de associações de classe, conselhos, ONGs, e em tudo onde exista a chance de conversar com pessoas.
Os jovens são os mais fáceis de serem cooptados para a “luta” e não é somente quando entram nas universidades, mas ainda antes, nas escolas, mais provavelmente dos 12 aos 17 anos por ser uma fase altamente complicada pela questão da adolescência. Estudos recentes de neurociência mostra que o adolescente não possui um senso de julgamento correto entre os pesos de suas ações, a emoção vence qualquer julgamento entre prós ou contras. Por isso mesmo, o jovem tem sido alvo da esquerda há muitos anos, pois a esquerda usa e muito os estudos da psicologia e sobre o comportamento e desenvolvimento humano para determinar suas ações, enquanto que o outro lado nem se dá conta de que esses jovens já estão sendo encaminhados para o caminho socialista.
Uma frase atribuída a Georges Clemenceau, um Primeiro-ministro da França de 1917 mostra um comportamento interessante: “Um homem que não seja um socialista aos 20 anos não tem coração. Um homem que ainda seja um socialista aos 40 não tem cabeça.” ou seja, mesmo naquela época eles sabiam muito mais do poder do socialismo/comunismo em atrair jovens do que nós em pleno século XXI. Precisamos entender que não basta ensinar nossos jovens, é preciso dar exemplos e colocá-los em constante vigilância, mas dialogando sempre e procurando diminuir suas angústias e emoções exacerbadas, principalmente na adolescência senão eles continuarão a dar apoio aos psicopatas esquerdistas.